Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos

» Spy Emergency 9.0.305.0
Ter Out 29, 2013 9:59 am por noguche

» (Jogo) O que te lembra esta palavra ?
Sab Abr 28, 2012 2:53 am por Nexus

» Proximos bonecos do Grand chase (Idéia)
Sab Abr 28, 2012 2:48 am por Nexus

» Ola pessoal!!!
Qua Jun 22, 2011 12:31 pm por 'Apple~

» Sign Warcraft avaliem
Sab Jun 04, 2011 11:49 am por -Viper

» Criando Asa level 3
Qui Jun 02, 2011 6:00 am por Nexus

» Entrega para BRUNO ;)
Dom Maio 29, 2011 3:09 pm por Nexus

» Estudos Gerais
Dom Maio 29, 2011 2:43 pm por вrυทσ

» Jogo do 1 até 2000
Dom Maio 29, 2011 2:39 pm por вrυทσ

Parceiros

Nosso Banner

Caso queira adicionar nosso banner em seu fórum aqui está

    Auditor e ex-chefe da Receita é preso em operação da PF em Pernambuco

    Compartilhe

    Convidad
    Convidado

    Auditor e ex-chefe da Receita é preso em operação da PF em Pernambuco

    Mensagem por Convidad em Qui Maio 12, 2011 7:07 am

    A Polícia Federal em Pernambuco realizou nesta quarta-feira (11) a operação Incongruência, cujo objetivo era combater corrupção e lavagem de dinheiro dentro da Receita Federal, além da sonegação de impostos. Durante a operação, o auditor fiscal e ex-chefe da Receita Federal em Caruaru, Saulo de Tarso Muniz dos Santos, foi preso em Maceió (AL).

    Após dois anos de investigações, a PF identificou indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por servidores federais. Depois, o esquema sonegava impostos, principalmente através da blindagem patrimonial – uma maneira de burlar o Fisco.

    Ao todo, o auditor preso pela PF terá conseguido acumular R$ 12 milhões em bens, entre eles 40 imóveis em nome de terceiros. O patrimônio ainda inclui terrenos em condomínios de luxo, pousadas, casas de veraneio e apartamentos em edifícios de luxo.A ação teve a participação de 60 policiais federais e cumpriu 18 mandados, sendo um de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão em Recife (PE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Gravatá (PE), Maceió, Maragogi (AL) e Caruaru (AL) além do bloqueio de bens dos principais investigados.

    O nome da operação desta quarta-feira é uma alusão à incompatibilidade dos bens adquiridos com a renda mensal do servidor federal investigado, bem como sua atuação contrária à Receita quando deveria atuar em favor do Fisco.

      Data/hora atual: Seg Dez 10, 2018 10:05 pm